segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

ALEGRIA


grande alegria no carnaval de 2013


Alegria é expressada por sorrisos,  contentamento, em seguida pode ser verbalmente agradecida. O tempo até passa mais rápido do que imaginamos, o estímulo da alegria vem através dos cinco sentidos que dão prazer, e logo a alegria. Alegria é um só termo que descreve prazer por outras palavras, mais socialmente aceite. Segundo Alexei Lisounenko, alegria traduz-se em aceitação, ou seja, aceitar quem de facto você é, assim possibilitando até mesmo mudanças na sua vida. Ele frisa que esta aceitação está longe do conformismo, onde você aceita a sua vida de uma forma negativa, sem perspetiva de mudança. Alegria é dar alegria!De forma alegre!Por ser contagiante, a alegria melhora a qualidade de vida do ser humano. A alegria pode ser considerada um sentimento contrário a tristeza, uma vez que a pessoa fica mais sociavel, sente-se mais confiante e determinada.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

CASAS ANTIGAS E MODERNAS

Antiga Escola (PEAC) Projeto Escola de Artes da Chaveira
Casa linda e moderna da minha aldeia
 


Alecrim e casa antiga no Largo da Vinha Velha







                                            Ao lado desta casa nasceram alguns dos meus antepassados
                                            Bisavós e avô materno
                                           
                                             Era geminada com esta e foi demolida para o largo ficar maior




Casas lindas da Chaveira,
sendo algumas bem antigas!
lembram alegre brincadeira
e a união de todas as amigas.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

AMOR




Lindo botão de rosa amarela



Características do amor:

Amor, é o nível ou grau de responsabilidade, utilidade e prazer com que lidamos com as coisas ou pessoas que conhecemos.
[
A palavra amor (do latim amor) presta-se a múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, ou com algum objeto que seja capaz de receber este comportamento amoroso e enviar os estímulos sensoriais e psicológicos necessários para a sua manutenção e motivação. É tido por muitos como a maior de todas as conquistas do ser.


FORMAS DE AMOR:
Fala-se do amor das mais diversas formas: amor físico, amor platônico, amor materno, amor à vida. É o tipo de amor que tem relação com o caráter da própria pessoa e a motiva a amar (no sentido de querer bem e agir em prol).
As muitas dificuldades que essa diversidade de termos oferece, em conjunto à suposta unidade de significado, ocorrem não só nos idiomas modernos, mas também no grego e no latim.
O grego possui várias palavras para amor, cada qual denotando um sentido diferente e específico.
No latim encontramos amor, dilectio, charitas, bem como Eros, quando se refere ao amor personificado numa deidade.
Amar também tem o sentido de gostar muito, sendo assim possível amar qualquer ser vivo ou objeto.













 

PROVÉRBIOS POPULARES




Visitantes a dirigirem-se para a Antiga Escola da Chaveira de Cardigos para verem uma das muitas exposições de lindos trabalhos que aí se realizam, em Voluntariado.
Autor da foto: Carlos Ferreira


PROVÉRBIOS POPULARES

"A gente todos os dias arruma os cabelos: por que não o coração?"
-- Provérbio Chinês

"A língua resiste porque é mole; os dentes cedem porque são duros."
-- Provérbio Chinês

"As dificuldades são como as montanhas. Elas só se aplainam quando avançamos sobre elas."
-- Provérbio japonês

"Antes de dar comida a um mendigo, dá-lhe uma vara e ensina-lhe a pescar."
-- Provérbio Chinês.

"Os sábios não dizem o que sabem, os tolos não sabem o que dizem "
-- Provérbio oriental

"Muitas vezes se diz melhor calando do que falando em demasia."
-- Provérbio

"Não há que ser forte. Há que ser flexível."
-- Provérbio Chinês

"Um homem feliz é como um barco que navega com vento favorável."
-- Provérbio chinês

"Pouco se aprende com a vitória, mas muito com a derrota."
-- Provérbio Japonês

"Quem comprar o que não precisa, venderá o que precisa."
-- Provérbio árabe

"Diga a verdade e saia correndo."
-- Provérbio Iugoslavo

"Não é o que possuímos, mas o que gozamos, que constitui nossa abundância."
-- Provérbio árabe

"Quem sabe, muitas vezes não diz. E quem diz muitas vezes não sabe."
-- Máxima do jornalismo investigativo

"Um homem está não onde mora, mas onde ama."
-- Ditado italiano

"Não vá o sapateiro além dos sapatos."
-- Provérbio Romano

"Os ignorantes, que acham que sabem tudo, privam-se de um dos maiores prazeres da vida: APRENDER"
-- Provérbio Popular

"Jamais  desespere no meio das sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda."
-- Provérbio Chinês

"Chega-te aos bons, serás um deles, chega-te aos maus, serás pior do que eles."
-- Sabedoria Popular

"O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta."
-- Sabedoria Popular

"Só percebemos o valor da água depois que a fonte seca"
-- Provérbio popular

"Não há pior inimigo que um falso amigo"
-- Provérbio inglês

"Nunca se esquecem as lições aprendidas na dor"
-- Provérbio africano

"Difícil é ganhar um amigo em uma hora; fácil é ofendê-lo em um minuto"
-- Provérbio chinês

"Se você quer manter limpa a sua cidade, comece varrendo diante de sua casa"
-- Provérbio chinês

"O grande homem é aquele que não perdeu a candura de sua infância"
-- Provérbio chinês

"Nunca foi um bom amigo quem por pouco quebrou a amizade"
-- Provérbio popular

"Não basta dirigir-se ao rio com a intenção de pescar peixes; é preciso levar também a rede"
-- Provérbio chinês

"Censura os teus amigos na intimidade e elogia-os em público"
-- Provérbio latino

"A coisa mais difícil para o homem é o conhecimento próprio"
-- Provérbio árabe

"Não ergas alto um edifício sem fortes alicerces; se o fizeres viverás com medo"
-- Sabedoria persa

"Uma grama de exemplos vale mais que uma tonelada de conselhos"
-- Provérbio popular

"Quando alguém ferir a sua vaidade, não pense que a sua honra foi atacada"
-- Provérbio persa
 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

HISTÓRIA DO CARNAVAL

Carnaval de 2013
(5 de copas)

Santa Casa da Misericórdia de Cardigos

Gracinda Tavares Dias

Traje feito pelas utentes e animadoras da Instituição

Vesti-me assim, para dar alegria aos utentes, na 3.ª feira de Carnaval, em 2013, fazendo Voluntariado.

Carnaval é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam os  seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica em 590 d.C.. É um período de festas regidas pelo ano lunar no cristianismo da Idade Média. O período do carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou do latim "carne vale" dando origem ao termo "carnaval". Durante o período do carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX.  A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro inspirar-se-iam no carnaval parisiense para implantar as suas novas festas carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo, como São Paulo, Tóquio e Helsinquia.
O carnaval do Rio de Janeiro está atualmente no Guinness Book como o maior carnaval do mundo, com um número estimado de 2 milhões de pessoas, por dia, nos blocos de rua da cidade. Em 1995, o Guinness Book declarou o Galo da Madrugada, da cidade do Recife, como o maior bloco de carnaval do mundo.

História e origem

A festa carnavalesca surgiu a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra "carnaval" está, desse modo, relacionada com a ideia de deleite dos prazeres da carne marcado pela expressão "carnis valles", que, acabou por formar a palavra "carnaval", sendo que "carnis" em latim significa carne e "valles" significa prazeres.
 
Em geral, o carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação, estes dias são chamados "gordos", em especial a terça-feira (Terça-feira gorda, também conhecida pelo nome francês Mardi Gras). O termo mardi gras é sinônimo de Carnaval.
 
O carnaval da Antiguidade era marcado por grandes festas, onde se comia, bebia e participava de alegres celebrações e busca incessante dos prazeres. O Carnaval prolongava-se por sete dias na ruas, praças e casas da Antiga Roma, de 17 a 23 de dezembro. Todas as actividades e negócios eram suspensos neste período, os escravos ganhavam liberdade temporária para fazer o que bem quisessem e as restrições morais eram relaxadas. As pessoas trocavam presentes, um rei era eleito por brincadeira e comandava o cortejo pelas ruas (Saturnalicius princeps) e as tradicionais fitas de lã que amarravam aos pés da estátua do deus Saturno eram retiradas, como se a cidade o convidasse para participar da folia.
No período do Renascimento as festas que aconteciam nos dias de carnaval incorporaram os baile de máscaras, com suas ricas fantasias e os carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual.

Cálculo do dia da Carnaval

Todos os feriados eclesiásticos são calculados em função da data da Páscoa, com exceção do Natal. Como o domingo de Páscoa ocorre no primeiro domingo após a primeira lua cheia que se verificar a partir do equinócio da primavera (no hemisfério norte) ou do equinócio do outono (no hemisfério sul), e a sexta-feira da Paixão é a que antecede o Domingo de Páscoa, então a terça-feira de Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

CARNAVAL DE 2013

Carnaval de 2013
Miguel de astronauta

Mais uma festa de Carnaval
Festejada com muita alegria
Que ninguém leve a mal
Estes belos dias de folia!

 

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

HISTÓRIA DA QUINTA-FEIRA DOS COMPADRES E DAS COMADRES

Quinta-feira das Comadres / Quinta-feira dos Compadres


 

Cozinha
Técnica: 3.ª dimensão
Local: PEV (Projeto Escola Viva dos Vales de Cardigos
Mestra: Cristina Mendes
Aprendiz: Gracinda Tavares Dias
Data: 2012
Na quinta-feira das Comadres(última quinta antes do carnaval) juntavam-se as raparigas em casa de uma delas e procediam a um jogo ou sorteio de nomes. Para isso colocavam a um lado papelinhos com o nome das raparigas e a outro os nomes de rapazes e retiravam-nos alternadamente para formar o par comadre/compadre, outra maneira de adquirir esse grau de parentesco já que ontem, como hoje, era vulgar passar a usar esta forma de tratamento, depois de um casamento, pelos pais e padrinhos dos noivos ou pelos pais e padrinhos das crianças que se baptizavam. No caso da celebração em apreço a relação de parentesco adquirida, e de acordo com as regras do jogo, duraria apenas até ao ano seguinte.
Todavia um acto aparentemente tão simples, como um sorteio do qual resultaria uma relação de parentesco meramente casual e que se previa de tão curta duração, fazia, no entanto, parte de um cerimonial carregado de muita simbologia já que a referida relação poderia ser tomada como um compadrio especial, "ideia difusa de comprometimento amoroso" um prenúncio de relação amorosa ou "augúrio de noivado". Em meu entender, nalgumas situações, funcionava muitas vezes como um jogo de sedução despoletado pela rapariga para sugerir veladamente ao eleito do seu coração a paixão que por ele sentia e que não era de bom tom manifestar abertamente.
Mas, neste caso, a arte estava em conseguir juntar os papéis sem suscitar a desconfiança das restantes elementos do grupo, nem que para isso se tivesse de "dar o jeito", contando-se para tanto com a ajuda e/ou a protecção de uma amiga de confiança, depositária de confidências amorosas, que se comprometera a dar um empurrão à sorte ou ainda, in extremis, à conivência de outras raparigas, sendo suposto pensar que as dificuldades aumentariam, caso um dos rapazes fosse o alvo amoroso de mais do que uma delas. Embora de uma forma discreta havia que fazer tudo por tudo para se obter essa ligação, à qual estava subjacente a tal relação amorosa.
Em Quinta-feira de Compadres segundo uns ou durante a semana que mediava entre as duas quintas-feiras, no entender de outros, havia que entregar o papelinho ao compadre, devendo este oferecer as amêndoas à respectiva comadre, em dia de Passos, variando a embalagem de acordo com as posses , podendo ir do simples pacote a uma bela caixa de música, de madeira, em forma de baú e forrada a cetim cor-de-rosa, contendo umas preciosas amêndoas de licor de variadas formas que faziam crescer água na boca da meninada da família. Por sua vez, em dia de Páscoa, a comadre deveria retribuir a delicadeza oferecendo um folar (bolo) que, mais tarde, foi sendo substituído por uma gravata, uma camisa ou outra qualquer prenda.
Caso o compadrio se transformasse em namoro, o par ficaria "logicamente" excluído do sorteio do ano seguinte. Mas o pacto estava selado e, pelo menos enquanto o namoro durasse, não deixariam de continuar a trocar as referidas prendas entre si, podendo concluir-se que, mesmo sem a Comemoração do Dia de S.Valentim, já os namorados tinham uma data fixa para trocarem presentes.
Concluindo:  a celebração da Quinta-feira das Comadres é também uma festa exclusiva do grupo mulheres, da qual embora não ressaltando propriamente oposição, não deixa de se notar uma certa coesão do grupo com vista a atingir  determinados fins.
A festa terminaria com uma merenda onde entraria a chouriça com ovos e uma chazada, sendo, principalmente, mais um motivo para um alegre convívio.
Mesmo não estando subjacente, na maior parte dos casos, qualquer intenção muitas são as amêndoas que se continuam a consumir no Domingo de Passos, recebidas ou compradas durante a semana anterior nos comércios da vila ou, já no próprio dia, nas Amendoeiras que instalam as suas vendas à porta da Igreja e no Calvário. E este breve apontamento poderá explicar aos mais novos o porquê deste facto, podendo ajudar, ainda, a tornar significativo o dar ou receber amêndoas em Dia de Páscoa.
 

QUINTA FEIRA DAS COMADRES

Os Compadres e as Comadres


Estas comadres pertencem a um projeto de Escola de Artes da Chaveira de Cardigos, Mação, Santarém((PEAC)
No dia das comadres de todos os anos juntam-se com as comadres de outro projeto semelhante (PEV), ou seja: Projeto Escola Viva dos Vales, para confraternizar e manter a Tradição

Na penúltima Quinta-feira antes do carnaval é o dia dos compadres e na Quinta-feira antes do carnaval é o dia das comadres.

No dia dos compadres são as raparigas que fazem malandrices aos rapazes e no dia das comadres são os rapazes que fazem patifarias às raparigas.

Antigamente no dia dos compadres as raparigas iam chocalhar os rapazes.

No dia das comadres faziam um jantar e cada uma levava o que podia.

Depois os rapazes iam chocalhar os chocalhos e diziam quadras de pouco apreço.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

LOCAIS DE INTERESSE EM PORTALEGRE


TARRO ALENTEJANO

MUSEUS

 Castelos


 Edifícios religiosos

 Na cidade

 Outros edifícios históricos

  • Antigo Seminário (século XVI/XVIII), actual Museu Municipal
  • Antigos Paços do Concelho (sede da câmara municipal) (século XVII)
  • Palácio dos Condes de Vilar Real ou de D. Nuno de Sousa (século XVI), onde se destacam as janelas manuelinas
  • Casa Nobre do Largo dos Silveiros
  • Casa dos Condes de Melo
  • Paço Episcopal
  • Palácio Achioli (século XVI e XVIII), actual Escola Superior de Educação de Portalegre
  • Palácio Amarelo (século XVII-XIX)
  • Palácio Avillez (século XVIII), actual Governo Civil
  • Palácio Barahona (século XVIII), aloja actualmente o Arquivo Distrital de Portalegre
  • Palácio dos Condes de Castelo Branco (século XVIII), actualmente a loja o Museu da Tapeçaria de Portalegre
  • Palácio dos Andrade e Sousa (século XVII), actualmente sede do Instituto Politécnico de Portalegre
  • Palácio dos Tavares Falcões (século XVI)
  • Palácio Póvoas (século XVIII)
  • Solar das Avencas
  • Solar dos Viscondes de Portalegre

 Fontes

A cidade de Portalegre e os seus arredores contam com mais de 30 fontes históricas. Até finais do século XIX, a água canalizada estava praticamente circunscrita às fontes, e só a partir dos anos 40 do século XX se pode falar de água canalizada ao domicílio. As fontes de Portalegre começam, por isso, por constituir um mobiliário urbano de características utilitárias.
  • Fonte do Outeiro – Pintada de amarelo e branco, cores típicas da cidade com o brasão de armas da cidade, data de 1883.
  • Fontes do Corro (actual Praça da República) – Nesta praça encontrava-se uma fonte monumental encimada com o brasão de armas da cidade, que foi construída no século XVI para comemorar a visita à cidade do rei Filipe II de Espanha (I de Portugal). A fonte encontra-se hoje numa praça de Cascais. Em sua substituição foram implantados, por volta de 1894, dois marcos fontanários em granito da região.
  • Fonte das 3 Bicas – Pintada de amarelo e branco, é encimada por um varandim. Tem 3 bicas e a tem a data da sua construção (1864) gravada.
  • Fonte da Concha – Também chamada Fonte de Manuel de Jesus por se tratar de uma fonte particular que pertencia à casa que lhe está anexa. Data do século XIX. É constituída por uma grande concha em cima de um varandim. Está pintada de branco e amarelo.
  • Fonte da Boneca – De estilo neoclássico e executada em lioz, data de 1894 e parece ter sido construída com o intuito de embelezar a cidade na sequência de uma visita prevista do rei D. Carlos a Portalegre.
  • Fonte de Mergulho de Santa Clara - Fonte de mergulho do século XVI, servia para abastecer de água o Convento de Santa Clara que lhe está anexo. Apresenta arcos geminados, separados por um mainel, que ostenta um círculo raiado sobre o capitel.
  • Fonte do Claustro do Convento de Santa Clara – Obra barroca do século XVIII no centro de um claustro gótico.
  • Fonte da Misericórdia – Construída em mármore branco com laivos vermelhos e negros, foi provavelmente inspirada na fonte do Largo do Teatro. Ostenta numa das faces o brasão de armas da cidade e a data da construção (1906).
  • Fonte Nova – Executada pelo escultor Augusto Desirat em mármore de Estremoz em 1894, tem duas bicas e a decoração inclui o brasão de armas da cidade.
  • Fonte do Rossio – Começou por ser colocada no Largo de Santiago em 1865, e só em 1889 passou para o Rossio.
  • Fonte do Jardim do Tarro – Construída na década de 1960, tem à sua frente um pequeno lago que se pode atravessar por meio de passadeiras circulares de pedra.
  • Fonte de Neptuno – Data da 2ª metade do século XVI e apresenta elementos decorativos manuelinos e do renascentistas. Foi remodelada no século XIX, datando desse período a figura de Neptuno e as carrancas que a suportam. Outros pontos com interesse histórico
 
  • Portal Gótico da Rua do Castelo
  • Rua dos Besteiros
  • Rua do Arco
  • Plátano do Rossio.
  • Praça da República (antigo Corro)

 Miradouros

  • Miradouro de Santa Luzia – Situado na Serra de Portalegre (679 m), na estrada para o Salão Frio, a norte da cidade.
  • Miradouro da Penha – Situado no adro de um capela do século XVII na encosta da Serra da Penha, a oeste da cidade.
  • Miradouro das Carreiras – Situado na povoação do mesmo nome, é um local panorâmico de grande beleza paisagística natural. Na freguesia das Carreiras existem também troços de calçada medieval que merecem ser visitados.
  • Miradouro da Igreja de Nossa Senhora da Lapa – Outro local de panorâmico de grande beleza paisagística natural, à beira de uma pequena Igreja cavada na rocha, a 1 km da povoação de Besteiros.
  • Pico da Serra de São Mamede – Situado a 1025 m de altitude, é o ponto mais elevado de Portugal continental a sul do Tejo. Dali se avista a barragem da Apartadura, a vila de Marvão, a Serra da Estrela e parte da Estremadura espanhola.

 

 

 

INFORMAÇÕES PARA UMA VISITA A PORTALEGRE, NO ALTO ALENTEJO

 

Lindo Pôr do Sol

 Portalegre


Entre as vastas planícies douradas do Alentejo encontra-se o pacato distrito de Portalegre, um sereno destino do interior repleto de arquitetura barroca, colossais castelos medievais e intrigantes locais com vestígios megalíticos.

Partilhando a sua localização com a imponente Serra de São Mamede, entre Portugal e Espanha, este bucólico distrito impõe-se com a sua paisagem singular formada pelos campos ondulados da sub-região do Alto Alentejo e pelas florestas densas e luxuriantes que caracterizam o norte do país.

Graças a esta posição estratégica junto à fronteira espanhola, Portalegre foi um ponto crucial na defesa nacional durante a Idade Média, tornando-se num dos distritos historicamente mais aclamados de Portugal. Além disso, sabe-se que Portalegre já era habitado muito tempo antes da época medieval e evoca a memória do património primitivo com os seus inúmeros vestígios romanos e monumentos pré-históricos.

Visite Portalegre e as suas sinuosas ruas calcetadas, que o conduzirão às principais atracções; dos edifícios de inspiração barroca aos requintados museus, dos fabulosos exemplos de arquitetura religiosa aos magníficos fragmentos das muralhas medievais.

A uma curta caminhada da Praça da República, o centro histórico da cidade, poderá admirar as varandas de ferro forjado que adornam o Palácio Amarelo, bem como os tradicionais azulejos azuis e brancos que decoram a escadaria de granito do elegante Palácio Achaioli. Entre no famoso Convento de São Bernardo e contemple o delicado túmulo do seu fundador, aprecie a colecção de pinturas maneiristas na bela Sé Catedral de Portalegre e fique a conhecer a espantosa tradição do distrito na área das tapeçarias no Museu da Tapeçaria Guy Fino. A colecção de arte sacra em exibição na Casa Museu José Régio é outra sugestão digna de visita.

Mergulhe no passado medieval do Alentejo e visite a imponente vila amuralhada do Marvão, que acolhe um dos castelos mais históricos de Portugal. Nas redondezas desta vila secular encontram-se impressionantes vestígios romanos, uma atracção fascinante que encantará os viajantes mais curiosos. A bucólica vila de Castelo de Vide é tida como uma das zonas mais românticas do Alentejo e é essencialmente visitada pela sua Judiaria – uma zona cativante onde poderá visitar a sinagoga mais antiga do país, edifícios de inspiração gótica e ruelas históricas.
A emblemática cidade fortaleza de Elvas é conhecida pelo seu imponente aqueduto, pelo grandioso castelo do século XIII e pela excelente selecção de museus. Famosa pelo seu queijo delicioso e pelo artesanato, a pitoresca vila de Nisa representa a tranquilidade e a beleza natural do distrito de Portalegre, com as suas esplêndidas termas e barragens nas proximidades – alguns dos locais mais fascinantes de todo o Alentejo.

Locais a Visitar


Natureza

Parque Natural da Serra de São Mamede
Esta singular reserva natural foi criada em 1989 e é um dos exemplos mais interessantes da biodiversidade do país. Com um pico que atinge os 3500 metros de altitude, este parque protegido combina o cenário rural do Alentejo com a paisagem luxuriante das regiões do norte de Portugal, criando o habitat perfeito para uma enorme variedade de fauna e flora. Castanheiros, carvalhos, vinhas e olivais, raposas, javalis, águias-de-Bonelli e a maior colónia de morcegos de toda a Europa são alguns dos surpreendentes exemplos de vida selvagem que poderá encontrar durante a sua visita ao distrito.   

Sé de Portalegre
Construída em finais do período renascentista, esta elegante catedral situa-se no ponto mais elevado da cidade e é uma das atracções mais emblemáticas da cidade. Constituída por arcadas abobadadas, três naves, uma grande cúpula e um atractivo claustro adornado a azulejo, este monumento do século XVI é um requintado exemplar da arquitectura religiosa do distrito. Uma bela colecção de mais de 90 pinturas maneiristas também adorna o interior da catedral, sendo considerada uma das suas principais atracções.


 
 
 

 

sábado, 2 de fevereiro de 2013

BADOCA SAFARI PARK




Sol Nascente
                                               

                                                       BADOCA SAFARI PARK



O Badoca Safari Park é um parque temático localizado em Portugal, mais precisamente no Alentejo em Vila Nova de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém. Existe desde 1999. Tem uma área de 90 hectares. O parque permite aos visitantes o contacto directo com a natureza e com a vida animal.
Conta atualmente com cerca de 500 animais selvagens de 45 espécies distintas.
Para além de diferentes espaços temáticos, o Badoca Safari Park dispõe de uma savana, de um self-service para refeições rápidas e de uma zona de 1000m2, inserido no meio do pinhal para pic-nic.
Tem um espaço temático designado por “Aldeia Africana”, uma área dedicada a primatas endémicos de Madagáscar (“Lemúres”) – Ilha dos Lémures e o Rafting Africano, que consiste num rio artificial que pode ser percorrido a bordo de um barco com capacidade para 9 pessoas

REFLEXÕES VARIADAS

Arte aplicada em tela (em execução)

REFLEXÕES

"O que as pessoas derem à vida é o que a vida lhes vai dar."

"Confia no Senhor e faz o bem e sobre a terra habitarás em segurança"

"Coloca no Senhor a tua alegria, e Ele te dará o que o teu coração te pedir"

"Quero, um dia poder dizer às pessoas que nada foi em vão. Que o amor existe, que vale a pena doar-se às amizades e às pessoas, que a vida é bela e que eu dei sempre o melhor de mim e que valeu a pena"

"Tudo é questão de tempo para que os ventos levem as mágoas e tragam novo motivo para ser feliz"  

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

ATIVIDADES NA CASA DA CULTURA DA CHAVEIRA DE CARDIGOS

Mês de Fevereiro
Os trabalhos continuam no nosso grupo
Projeto Escola de Artes da Chaveira de Cardigos (PEAC)


Tarte de natas e chá para o habitual lanche de confraternização das quartas, de tarde
Trata-se do grupo de Artes e lazer que dá saúde e faz crescer



















Fevereiro é o segundo mês do ano, pelo calendário gregoriano. Tem a duração de 28 dias, a não ser em anos bissextos, em que é adicionado um dia a este mês. O nome fevereiro vem do latim februarius, inspirado em Februus, deus da purificação na mitologia etrusca. Originariamente, fevereiro possuía 29 dias e 30 como ano bissexto, mas por exigência do Imperador César Augusto, de Roma, um de seus dias passou para o mês de agosto, para que o mesmo ficasse com 31 dias, semelhante a julho, mês batizado assim em homenagem ao Imperador Júlio César.