sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

A 3.ª ESCOLA ONDE LECIONEI

Uma Escola de Chupanga, Marromeu, que tirei da Net.
Da casa desabitada que funcionava de Escola, na Lacerdónia, não tenho fotos, mas foi aí que lecionei com toda a dedicação, parte de 1968 e ano letivo de 1968/1969
 
Pelo que me parece são poucas carteiras para tantos alunos!
 
A 3.ª Escola onde lecionei foi no Posto Administrativo da Chupanga, onde residia o Administrador de Posto, nos anos de 1967 e 1968, que era o meu marido.
A Escola Primária funcionava na grande varanda que tinha a residência do antigo Administrador de Posto, pois nós já vivíamos numa casa diferente, que não sei se agora ainda existe. O local chamava-se na altura "LACERDÓNIA" .
Os exames do 4.º ano de escolaridade eram feitos na missão da Chupanga.
Cheguei a ter 50 alunos de três anos diferentes. Pré - Primária, 1.º ano, 2.º ano, 3.º ano e 4.º ano, pois era única professora. Os alunos eram todos africanos.
Foi ainda no ano de 1968, em Fevereiro que vivi na missão da Chupanga até me casar em 13 de Junho de 1968, na cidade da Beira.
No ano letivo de 1968/1969 continuei nesta escola improvisada e, em 4 de Junho de 1969, nasceu a minha filha, na cidade da Beira e, logo após 15 dias vim com ela de comboio 300km até Lacerdónia, para poder acabar o ano letivo e, após os exames concluídos, entrei de férias e fomos para a Beira, onde o meu marido já era funcionário da Alfândega nos Caminhos de Ferro da Beira.
Destes anos não tenho fotos e gostaria bem de ter!
No posto administrativo tínhamos na altura um barquinho de fibra de vidro, com motor fora de bordo e. recém casados, demos belos passeios no Rio Zambeze que tínhamos ali quase à porta.
Foram, de facto, dias bem felizes.
Que pena não ter fotos destes anos!

Eu, Gracinda Tavares Dias, achei graça às regras desta rainha do Posto de Chupanga, onde vivi e lecionei e o meu marido era aqui o Administrador de Posto, dependendo do Administrador de Marromeu.

Diz ela:


"ESTOU aqui, em Chiburiburi, a enfrentar muitas dificuldades de liderança com os restantes régulos neste posto administrativo de Chupanga pelo facto de ser única rainha ao nível do distrito de Marromeu. Além disso, a democracia influencia negativamente na jurisdição de regulados, comparativamente aos tempos idos em que se impunham as ordens e disciplinava a sociedade. Mesmo assim, continuo de pedra e cal a mandar 792 habitantes”. Este é o desabafo de Chica Zeca Macajhangi, a rainha de posto administrativo de Chupanga, conhecida como a “Dama de Ferro”, em entrevista ao “Notícias” sobre a sua convivência com os homens na condução do destino daquela comunidade ribeirinha do grande Zambeze.

FISICAMENTE robusta e com mais de dois metros de altura, a rainha Chica, também conhecida por Kundwe, de 52 anos de idade, afirma que está a ser mal entendida pela comunidade e autoridades administrativas por estar a impor regras para melhor convivência na área da sua jurisdição.
 
 Nota: Que diferença, como as mulheres evoluíram, com a democracia!

SEGUNDA ESCOLA ONDE LECIONEI

2.ª Escola Primária onde lecionei
NAMPULA, MOÇAMBIQUE
Ano letivo de 1967/1968
Aqui vivi com um irmão, cunhada e dois sobrinhos pequeninos

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

PRIMEIRA ESCOLA PRIMÁRIA ONDE LECIONEI

Esta foi a primeira Escola Primária onde lecionei
Anos letivos de 1965/1966  e 1966/1967






Fotos da autoria de Salim Milas, em 03.02.2014
OBRIGADA
Outra foto da mesma Escola, em Mossuril, Nampula, Moçambique
Foram dois anos muito felizes que passei em Mossuril, Nampula, Moçambique!
Estava em plena juventude!
Iniciei o meu primeiro trabalho docente.
Tinha lindas praias para me divertir. Tinha perto a Cabaceira, as Chocas, Carrusca Chocas e a tão linda Ilha de Moçambique.
Podia ir, de vez em quando a Monapo, Namialo e às boîtes de Bordo, nos grandes navios atracados nos portos.
Belos tempos que não voltam mais!

MUITAS SAUDADES!

CASAMENTO EM MOÇAMBIQUE

No dia do meu casamento
Catedral de Nossa Senhora do Rosário
BEIRA, MOÇAMBIQUE
13 de Junho de 1968

Como fui feliz em Moçambique!


Esta foto antiga será sempre para recordar os belos momentos aí passados.
 

sábado, 15 de fevereiro de 2014

LINK DE UM VÍDEO INTERESSANTE

Olá!
cinda.dias@hotmail.com achou este vídeo interessante e decidiu recomendá-lo:
http://videos.sapo.pt/hzrgqCbQ5weU47BG9PV5
Clique no link acima para ver o vídeo ou copie a linha com o endereço para o
seu browser.
Filme! Partilhe! Veja!
Sapo Vídeos

NOTA: Este episódio, cujo tema é LITERATURA, tem a atuação do meu neto Miguel Cunha, de 9 anos, que usa óculos e veste bata vermelha.

PARABÉNS PARA TODOS OS ATORES!

Este filme do Programa Infantil do Tio Alfredo é repetido, hoje, sábado, pelas 10h e 50m e às 20h e 25m (aproximadamente), no Canal Q, 15 da MEO e da ZON.

Amanhã, Domingo, haverá um novo episódio pelas 14h e 25m, com repetição pelas 20h e 25m.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

PROGRAMA INFANTIL NO CANAL Q, N.º 15 DA MEO OU ZON

O menino de bata vermelha é o meu neto Miguel, de 9 anos.
Entra como personagem no novo Programa Infantil do Tio Alfredo no canal Q da MEO e da ZON, na posição 15
As horas da transmissão encontram-se neste post

O Miguel entra apenas no tema da literatura e da pintura, que ainda não passou no Canal Q da TV.
Por enquanto entra no anúncio do Programa com todas as outras crianças.


O episódio da Literatura já foi exibido, mas ainda irá repetir no próximo sábado, nas horas anunciadas.

Ao longo do mês de Fevereiro, o programa Q de Quá Quá emite um episódio novo todos os Domingos às 14h25.
Adicionalmente, poderá ver as repetições de cada episódio nos seguintes horários (aproximadamente):

DOM - 20h e 25m
SÁBADO - 10h e 50m
SÁBADO - 20h e 25m

Aproveito para lhe enviar uma auto-promoção feita ao programa. Sinta-se livre de a partilhar com os pais e até redes sociais, etc. (se assim o entender): http://videos.sapo.pt/NfEwLwHQRKygFQdEKyNt

UMA DAS POESIAS LINDAS DE FERNANDO PESSOA

“… Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber. ...
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz…” F. Pessoa