domingo, 25 de março de 2012

FAREI JEJUM DE QUÊ ? ( linda reflexão )

CRUCIFIXO A PONTO DE CRUZ

AUTORA:         Elisabete Mateus, de Cardigos

Nota: Este lindo trabalho fez parte da Expsição coletiva do Grupo Cultural da Escola de Artes da Chaveira de Cardigos, na Biblioteca Municipal de Mação e do Serão Cultural aí realizado pelo mesmo grupo, no âmbito do Projeto: "FAZES-ME FALTA"da Biblioteca.


FAREI  JEJUM  DE  QUÊ ?

O MEU CAMINHO PARA ESTA QUARESMA

1 - Jejuarei de julgar os outros
Descobrirei Cristo que vive neles.

2 - Jejuarei de palavras que ferem.
Direi frases que curam.

3 - Jejuarei do egoismo
Viverei na gratuidade.

4 - Jejuarei da inquietude
Procurarei viver com paciência.

5 - Jejuarei do pessimismo.
Encher-me-ei de esperança.

6 - Jejuarei de preocupações.
Confiarei mais em Deus.

7 - Jejuarei de queixas.
Darei graças a Deus pela maravilha da minha vida.

8 - Jejuarei da angústia.
Rezarei com mais frequência.

9 - Jejuarei da amargura.
Praticarei o perdão.

10 - Jejuarei da importância que dou a mim mesmo (a)
Serei compassivo (a) com os outros.

11 - Jejuarei da preocupação com as minhas coisas.
Comprometer-me-ei com o Anúncio do Reino.

12 - Jejuarei do pessimismo e desalento.
Encher-me-ei do entusiasmo da fé.

13 - Jejuarei de tudo aquilo que me separa  de Jesus.
Tentarei viver mais perto d' Ele.

FELIZ  QUARESMA !

sexta-feira, 23 de março de 2012

PINTURAS A ÓLEO DE UMA EXPOSIÇÃO COM PENSAMENTOS

Quadros a óleo sobre tela, na 3.ª Exposição Individual, no Auditório Municipal de Proença -a-Nova
Autora: Gracinda Tavares Dias

MULHERES COM PENSAMENTOS VERDADEIROS

Tenha em mente que a pele fica enrugada, o cabelo torna-se branco, os dias transformam-se em anos, mas o principal não muda, que é a sua força interior.

Enrugar o corpo é inevitável, mas não o cérebro. Mantenha o seu cérebro iluminado e ativo,  fá-lo funcionar e ele será eterno.

Nada na vida é para ser temido, somente compreendido. Agora é a hora de compreender mais, para temer menos.

Para manter a elegãncia, caminhe com a certeza de que nunca está sozinha. A beleza de uma mulher cresce com o passar dos anos.

Nunca rastejar quando você tem capacidade para voar.

Eu sou aquela mulher que escalou a montanha da vida removendo pedras e plantando flores.

O amor é como o mercúrio na mão. Deixe a mão aberta e ele permanece; aperte a mão com força e ele escapará.

Aprendi com as Primaveras a deixar-me podar para voltar melhor.

O prazer de ser justo torna-nos melhores.

O coração que não sabe chorar também não saberá sorrir.

Para ter um corpo esguio, divida a sua comida com os famintos.

Existem dois tipos de pessoas, as que fazem e as que apenas falam como os papagaios. Tente ficar no primeiro grupo. Há menos competição lá.

A idade não protege contra o amor. Mas o amor em certa medida protege contra a idade.

Eu não tenho tempo para empenhar outra bandeira, apenas a do entendimento, e a do encontro entre as pessoas.

Um relacionamento requer muito trabalho e amor. Superar mal entendidos, esquecer os próprios desejos. Mostrar interesse sem nenhum cinismo.

A beleza de uma mulher não é uma moda superficial. A verdadeira beleza de uma mulher está refletida na sua alma. Na bondade, no amor e paixão que demonstra.

Seja persistente, apesar dos outros esperarem que vás desistir. És rija  como o ferro. Não o deixes enferrujar.

AMIGOS E CAMINHOS (REFLEXÃO)

Convívio no Serão Cultural, na Biblioteca de Mação, em 24 de Fevereiro de 2012

Vice-Presidente do Município de Mação , Dr. Vasco Estrela e parte do Grupo do Serão Cultural, na Biblioteca em 24 de Fevereiro de 2012


AMIGOS E CAMINHOS

Vá frequentemente  à casa de um amigo, pois as ervas daninhas obstruem o caminho não usado.
(Ralph waldo Emerson)

Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só.
(Amir Klint)

Amigo é aquele que sabe tudo a seu respeito e, mesmo assim, ainda gosta de você.
(Kim Hubbard)

Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.
(Miguel de Unamuno)

O melhor espelho é um velho amigo.
(George Herbet)

Um amigo chamou-me para cuidar da dor dele, guardei a minha no bolso. E fui.
Clarice Lispector)

Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que neles admiramos.
Sócrates)

A Amizade é um amor que nunca morre.
(Mário Quintana)

Um amor seguro, revela-se na adversidade.
(Euripedes)

Nunca é longe demais o caminho que nos conduz à casa de um amigo.
(Juvenal)

QUE SEJA DOCE  !

terça-feira, 20 de março de 2012

POESIA À PRIMAVERA E A CAMPO MAIOR

Flores muito vistosas

Belos enfeites!


Que linda floreira!

Rua muito bem ornamentada!

O equinócio da Primavera teve lugar às 5h e14m, de 3.ª feira, dia 20-03-2012. Marca o início da  estação do hemisfério norte e esta prolonga-se por 92,75 dias até ao próximo solstício que ocorre a 21 de Junho, às 00h e 09m.


HINO À  PRIMAVERA DE 2012 E A CAMPO MAIOR

Começou hoje a Primavera
e, lembrei-me das flores
Que vimos em Campo Maior
Principalmente os amores.

Eram lindas a valer
As flores a ornamentar
Não podemos esquecer
Os enfeites de encantar!

Campo Maior florido
Linda vila alentejana
com todo este colorido
e, sendo já arraiana.

Ao Município de Mação
Devemos todos agradecer
O transporte para o passeio
Que jamais iremos esquecer.

A Primavera é uma estação
Cheia de encanto e beleza
O tempo ameno e as flores
São um dom da Natureza!

Gracinda Tavares Dias

SEJAMOS MINIMAMENTE FELIZES (REFLEXÃO)



 CONJUNTOS DE TERÇOS

SEJAMOS MINIMAMENTE FELIZES

A felicidade é a soma de pequenas felicidades. Li essa frase em Paris e soube, naquele momento, que o meu conceito de felicidade tinha acabado de mudar.
Eu já suspeitava que a felicidade com letras maiúsculas não existia, mas dava-lhe o benefício da dúvida.
Afinal desde que nos entendemos por gente aprendemos a sonhar com essa felicidade no superlativo.
Mas ali, vendo aquele outdoor estrategicamente colocado no meio do meu caminho (que de certo modo coincidia como meio da minha trajetória de vida) tive a certeza de que a felicidade, ao contrário do que nos ensinaram os contos de fadas e os filmes de hollywood, não é um estado mágico e duradouro.
Na vida real, o que existe é uma felicidade homeopática, distribuída em conta-gotas.
Um pôr do Sol aqui, um beijo ali, uma xícara de café recém coada.
Um livro que não conseguimos fechar, um homem que nos faz sonhar, uma amiga que nos faz rir.
São situações e momentos que empilhando com o cuidado e a delicadeza merecem alegrias de pequeno e médio porte e até grandes (ainda que fugazes) alegrias.
Eu contabilizo tudo de bom que me aparece, sou adepta da felicidade homeopática. Se o fecho daquele vestido que eu adoro voltar a fechar(ufa!) ou se apanho um congestionamento muito menor do que eu esperava, tenho consciência que são momentos de felicidade e vivo cada segundo.
Agora descobre-se que dá para ser feliz no singular: Quando estou na estrada conduzindo e ouvindo as músicas que eu gosto, é um momento de pura felicidade. Olho para a paisagem, canto, sinto um bem-estar indescritível.
Podemos viver momentos ótimos mesmo não estando acompanhados e que não tem sentido esperar até que um facto mágico nos faça felizes.
Como tantos já disseram tantas vezes, aproveitem o momento, amigos!

O melhor é ser minimamente feliz várias vezes por dia do que viver eternamente em compasso de espera.

segunda-feira, 19 de março de 2012

POESIA DA TRADIÇÃO DA SAGRADA FAMÍLIA




POESIA COM TRADIÇÃO DA SAGRADA FAMÍLIA




Tocavam o búzio com alegria
Para as pessoas chamar
E, assim, no dia a dia
As imagens iam acompanhar
De casa em casa para rezar
no mês de Maio
dedicado à Virgem Maria.
Aí, as crianças cantavam
Oferecendo as florinhas
Que as pessoas levavam.
Ainda se cantam as florinhas
Mas, agora na nossa capela
rezando o terço e outras orações
Com todas as devoções
e mantendo as tradições.

Agora, A Sagrada Família
Continua, de vizinha para vizinha
e, sempre com muita alegria
a vizinha a acarinha
Reza com a família
E dá uma moedinha.

No dia 17 de Fevereiro
na Igreja de Cardigos
Fez-se uma festa linda
com a reunião das imagens
de toda a freguesia
Numa grande alegria
E toda a união
na nossa oração.

Foto e poesia da autoria de :
Gracinda Tavares Dias





sábado, 17 de março de 2012

POEMA DO TRADICIONAL DIA DAS COMADRES EM 2012

Grupo da Escola de Artes da Chaveira e dos Vales no jantar anual de confraternização, que este ano calhou no dia das comadres



Jantar de convívio da Escola dos Vales e da Escola da Chaveira, em Proença -a - Nova, no Restaurante Santa Margarida, do Rodrigo e da Cristina



 

terça-feira, 13 de março de 2012

EXPOSIÇÃO DE MÁRIO TAVARES DIAS E ADÉLIA DE LOURDES MARTINS, INAUGURADA PELO MUNICÍPIOP DE PROENÇA-A-NOVA

Pintura e escultura na galeria municipal
Quando se olha para o resultado, custa a acreditar que o processo criativo começou quase por acaso. Ao olhar para os rolos de arame de fardos de palha que se acumulavam lá por casa, Adélia Martins decidiu fazer alguma coisa para os reutilizar. Foi assim que surgiram os cogumelos em arame e madeira que se destacam na exposição patente, até final de Abril, na galeria municipal de Proença-a-Nova, que junta a escultura da autora à pintura abstrata de Mário Tavares Dias.
A segunda peça criada, uma bola destinada a servir como candeeiro, chama a atenção por ter no interior um ninho. A carriça que o escolheu para fazer a sua casa foi a companheira de Adélia Martins ao longo da preparação da exposição. “Pendurei a bola à porta de casa e fui quatro ou cinco dias a Lisboa. Quando voltei, o ninho estava lá dentro”, recorda.
Professora de Educação Visual e Tecnológica na reforma, Adélia Martins manteve o “bichinho” da escultura adormecido desde a faculdade, já que optou pelo curso de pintura. O gosto pelas artes passou para o marido e quando este se reformou começou a testar as suas próprias linhas, para ocupar o tempo. Sete dos coloridos quadros de Mário Tavares Dias podem ser vistos na seleção exposta na galeria municipal.
Na abertura ao público, que decorreu no sábado, Mário Tavares Dias destacou a importância da galeria municipal como montra para os artistas locais, enquanto Adélia Martins confessou o “gozo extremo” que lhe deu montar a exposição, revivendo o trabalho desenvolvido com os alunos enquanto foi professora. Com a simplicidade da matéria-prima escolhida pretende “provocar as pessoas”, mostrando que “as mãos e os pés” bastam para se criar algo.

quarta-feira, 7 de março de 2012

POEMA DA HISTÓRIA DO DIA DA MULHER COM TRABALHOS ARTESANAIS

Garrafão da esquerda craquelado com azeitonas de:
Gracinda Tavares Dias
Garrafão grande com pintura de vitral e cierne contorno, da autoria de Paula Delgado, do Carvalhal
A pintura da garrafa é da mesma autora e com a mesma técnica

O Palhaço é trabalho de todo o grupo e destinou-se a um concurso de espantalhos, num conjunto de 25, que embelezaram a tradicional festa anual de S. Pedro, na Chaveira e Chaveirinha, idealizado e patrocinado por: Mário Tavares Dias, da Chaveira.
Grandes toalhas  em renda e bordado de:
 Alice do Azinhal de Cardigos





HINO DE LOUVOR À MULHER

No dia 8 de Setembro de 1857
Ao fazerem greve pelos direitos
As cerca de 130 operárias
Foram encerradas
Para serem queimadas
Numa fábrica, em Nova Yorque!

Reivindicavam, com razão
De 16 horas a redução
Para 10 horas de trabalho
E por receberem menos de um terço
do salário pago aos homens
Por tão grande descriminação
E tão grande opressão!

Em 1910, na Dinamarca
Numa Conferência internacional de mulheres
Foi decidido comemorar
o dia 8 de Março
Como o dia internacional da Mulher
em homenagem àquelas mulheres
Que lutaram por outra qualquer
Nunca devemos esquecer
estas mulheres heroínas
Que pelos direitos tiveram que morrer!

Desde então para cá, o movimento 
a favor da emancipação da Mulher
Tem trabalhado, com amor
Tanto em Portugal,
Como no resto do Mundo
para que numa alegria, sem igual
A mulher tenha orgulho profundo
Seja digna de todo o louvor
Sem qualquer favor!

Pretende-se chamar a atenção
Para o seu papel e dignidade
E levar à consciencialização
Do valor da pessoa humana
Perceber o seu papel na sociedade
Contestar e rever preconceitos
E limitações que vêm sendo impostas
Que para todos os efeitos
As ideias sejam propostas
Para reconhecer à Mulher a igualdade!

Em 1822, na 1.ª Constituição liberal
E nas seguintes Constituições
Afirmaram que a lei é igual
para todos, sem referência especial
ao sexo ou outras  descriminações!



Travessa com a técnica do vitral e guardanapo de Paula do Carvalhal
Guarda- jóias em madeira com bordado de richelieu de Gracinda Tavares Dias, da Chaveira

TRABALHOS DA VII EXPOSIÇÃO COLETIVA DA ESCOLA DE ARTES DA S CHAVEIRA'S

Quadro com boneca, utilizando a técnica da 3,ª Dimensão
de Elisabete de Cardigos
Título: a ceifa
Técnica: Óleo sobre tela
Autor: Américo Delgado
CHaveira de Cardigos
Crucifixo a ponto de cruz de. Elisabete Mateus, de Cardigos
Grande garrafão e garrafa com a técnica do vitral de Paula Delgado, do Carvalhal
Espantalho que fez parte do concurso de espantalhos, na festa anual de S. Pedro, da Chaveira de Cardigos
TRABALHO COLETIVO do Grupo Cultural de Chaveira's

MAIS TRABALHOS LINDOS DA VII EXPOSIÇÃO DE ARTES DO GRUPO CULTURAL DA ESCOLA DE ARTES DAS CHAVEIRA'S DE CARDIGOS

Jarra grande, redonda com a técnica do vitral de Lucinda , do Azinhal
Quadro com pintura em gesso e garrafão em vitral de Gracinda
Jarra de pintura em vidro de Paula, do Carvalhal de Cardigos
Crucifixo em ponto de cruz , de Elisabete de Cardigos

Prato com a técnica da découpage e outro prato com a técnica do estanho de: Etelvina, da Chaveira
Quadro em vidro triangular com a técnica do vitral , em estanho e  imagem da Virgem Maria e do Menino Jesus, no berço, com a técnica do estanho , de Lucinda, do Azinhal 
Quadro com bordado de Castelo Branco de: Gracinda, de Mesão Frio de Cardigos
Tabuleiro de estanho de: Carmita , da Chaveira de Cardigos

terça-feira, 6 de março de 2012

TRABALHOS LINDOS DA VII EXPOSIÇÃO COLETIVA DE VARIADAS ARTES, NA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE MAÇÃO

Tabuleiro em estanho de:Lucina Tavares, do Azinhal de Cardigos
Colares,saboneteiras e saquinhos com terços de Gracinda, da Chaveira
Relógio em bordado de Castelo Branco de Celestina da Chaveira
Quadro com  a técnica das escamas de peixe e toalha da esquerda em ponto
 de cadeia com renda de Nazaré  Marques da Chaveira
Toalha de linho com quadrados de renda e saquinhos com terços de Céu de Cardigos

Quadro com boneca  ponto de cruz de: Elisabete Mateus de Cardigos

Almofada e toalha com ponto Jugoslavo de Lurdes Réseo, da Roda de Cardigos
Bordado em ponto de cadeia com renda de Carmita de S. Bento
Quadro com bordado de Arraiolos de Gracinda, da Chaveira.

Quadro com escamas de peixe e quadro com arranjos de cestinhas de flores secas de: Nazaré Marques, da Chaveira
À esquerda: Pintura Judaica de Carmita, da Chaveira
À direita da mesma foto: Pintura no vidro de Idalina, da Chaveirinha

POEMA AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER, por Gracinda Tavares Dias


POEMA A TODAS AS MULHERES
Por: Gracinda Tavares Dias


Ofereço este ramo de rosas
No vidro, por mim pintado
Para que o Dia da Mulher
Seja sempre festejado!

Que as rosas tenham menos espinhos
E que à Mulher sejam dados carinhos
Que ela merece tanto  amor
Como o  perfume da flor!

Mais um dia da Mulher
Para comemorar, com alegria,
no ambiente que se quiser
Neste tão lembrado dia!

Hoje é dia da Mulher
Unamo-nos sem igual!
Fiquemos todas divertidas
Dentro do mesmo ideal!

O Dia Internacional da Mulher
No ano de 2012, em Proença-a--Nova
Não será como um dia qualquer
Mas um dia com trova!

As lindas poesias que as mulheres
Aí dedicam a todas as companheiras
Não são como outras quaisqueres
Mas, ligadas a grandes brincadeiras!

Respeitemos o valor da Mulher,
 em todos os cantos do Mundo!
Elas são dignas de louvor
e de um amor profundo!

Trabalham muito no dia-a-dia
Nas mais diversas atividades,
às vezes, tristes mostram alegria,
Essas são as grandes verdades...

Pintando um Mundo diferente
a Felicidade será o Caminho!
e todos, de forma atraente
Às Mulheres daremos carinho!









REFLEXÃO SOBRE AS ESTAÇÕES DO ANO / MOMENTOS


Foto de: Gracinda Tavares Dias

PODANDO KIWIS NO INVERNO   /

MOMENTOS

Um homem tinha 4 filhos.

Ele queria que os seus filhos aprendessem a não ter pressa quando fizessem os seus julgamentos.

Por isso convidou cada um deles para fazerem uma viagem e observarem uma pereira, plantada num lugar distante.

O 1.º filho chegou lá no INVERNO, o 2.º na PRIMAVERA, o 3.º no VERÃO e o mais novo no OUTONO.

Quando eles regressaram o pai reuniu-os e pediu que contassem o que tinham visto.

O 1.º chegou lá no INVERNO e disse que a árvore era feia, seca e retorcida.

O 2.º chegou lá na PRIMAVERA e disse que aquilo não era verdade, pois que encontrou uma árvore cheia de botões, e carregada de promessas.

O 3,º chegou noVERÃO e disse que ela estava coberta de flores, que tinham um cheiro tão doce e eram tão bonitas, que ele arriscaria a dizer que eram a coisa mais graciosa que ele jamais tinha visto.

O último filho chegou no OUTONO e disse que a árvore estava carregada e arqueada, cheia de frutas, vida e promessas...

O pai então explicou aos seus filhos que todos estavam certos, porque eles tinham visto apenas uma estação da vida da árvore...

A essência do que se é, (como o prazer, a alegria e o amor que vêm da vida) só pode ser constatada no final de tudo, exatamente como no momento em que todas as estações do ano se completam!

Se alguém desistir no INVERNO, perderá as promessas da PRIMAVERA, a beleza do VERÃO e a expetativa do OUTONO.

Não permita que a dor de uma estação destrua a alegria de todas as outras.

Não julgue a vida apenas por uma estação difícil.

Preserve através dos caminhos difíceis

Os melhores tempos, certamente, virão de uma hora para a outra!!!

Tenha um dia abençoado!



sexta-feira, 2 de março de 2012

PINTURA A ÓLEO COM AS FIADEIRAS EM LABORAÇÃO


Título: As fiadeiras

Técnica: Óleo sobre tela

Data: 2000

Local: Escola de Pintura de Fuentes de Oñoro(Espanha, frnteira)

Autora: Gracinda Tavares Dias

Nota: Este quadro já foi vendido


O TRABALHO DO LINHO
A PREPARAÇÃO DAS FIBRAS

A preparação das fibras do linho para o uso têxtil consiste na separação das fibras lenhosas e das fibras têxteis. Esta operação é feita por processos diferentes conforme as regiões. A separação das fibras dos talos macerados realiza-se em dois processamentos, que na separação mecânica podem ser feitos numa só máquina.
  • Na trituração, o lenho é quebrado em pequenos pedaços, “aparas”, mediante a ação perpendicular de uma força sobre o talo. No trabalho manual a trituração era manual, mas modernamente usa-se já uma máquina, o triturador de linho. As aparas , contudo, aderem ainda em grande parte às fibras. À trituração segue-se a espadelagem.
  • Na espadelagem, o lenho quebrado é removido mediante o trabalho de cardagem e batidas, feitas no sentido dos talos. No trabalho manual é feito no espadelador manual e no mecânico mediante a turbina de espadelagem.
No processo mecânico destacam-se mesmo fibrilas dos feixes paralelos de filaça. Estas fibras curtas, desordenadas, formam a estopa de espadelagem. As fibras longas, paralelas, têm o nome de linho espadelado, enquanto as fibras curtas são chamadas de estopa espadelada. A última etapa de todo o processo é a assedagem, que consiste na separação das fibras longas, do linho, da estopa, que são mais curtas. A assedagem provoca mais um desmanchamento e uma purificação das fibras paralelas. Essa operação é feita manualmente pelo restelo ou na respectiva máquina, chamada espadela.
A finalidade da assedagem é desmanchar mais os feixes de filaça por meio de agulhas, e deixá-los mais finos. Durante este trabalho, fibras curtas são removidas mediante a penteagem (estopa de assedagem). É mais fina que a estopa de espadelagem. A fibra longa assedada tem o nome de linho assedado. Pode ser fiada mais fina que a estopa de espadelagem e de assedagem, e os fios apresentam maior resistência.
O rendimento da assedagem depende do tipo de linho.